Ligue

(96) 3223-5810

Segunda a Sexta

08:00 - 12:00

14:00 - 18:00

Desemprego recua levemente, já informalidade salta para 41,1%, maior taxa desde 2016

Por: STIUAP em: 31/01/2020

A taxa média de desemprego caiu de 12,3%, em 2018, para 11,9%, em 2019, mas o que mais aumentou foi a informalidade, que bateu novo recorde, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada nesta sexta-feira (31) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Das 1,8 milhão de vagas geradas em 2019, 446 mil foram sem carteira assinada; e a maior parte, 958 mil, são ocupações de trabalhadores por conta própria, dos quais 586 mil sem CNPJ.

 

No trimestre encerrado em dezembro, 12,6 milhões de trabalhadores e trabalhadoras estavam desempregados. O número recuou levemente em relação a 2018 (1,7%), mas se comparado com o menor dado da série, registrado em 2014, quando o país registrou 6,8 milhões de desempregados, quase dobrou, crescendo 87,7% em cinco anos.

 

Informalidade é a maior desde 2016

 

A informalidade atingiu 41,1% da população ocupada, o equivalente a 38,4 milhões de trabalhadores. Este é o maior contingente de informais desde 2016.

 

Informais são trabalhadores sem carteira, trabalhadores domésticos sem carteira, empregador sem CNPJ, conta própria sem CNPJ e trabalhador familiar auxiliar.

 

Os sem carteira

 

- o setor privado contratou 11,6 milhões de trabalhadores - exceto empregados domésticos - sem carteira assinada, em 2019 (o aumento foi de 4% em relação a 2018 e é o mais alto patamar da série histórica iniciada em 2012).

 

Por conta própria

 

- no trimestre encerrado em dezembro, a PNAD registrou um total de 24,6 milhões de trabalhadores atuando por conta própria. A maior parte desses trabalhadores, 19,3 milhões, não tinham CNPJ.

 

São 3,9 milhões a mais de trabalhadores por conta própria desde 2012.

 

Na comparação com 2018, o aumento foi de 4,1% (958 mil).

 

Subutilização

 

O total da população subutilizada na força de trabalho, que inclui trabalhadores  subocupados por insuficiência de horas trabalhadas ou na força de trabalho potencial -, chegou a 27,6 milhões em 2019, o maior valor da série e 79,3% acima do menor patamar (15,4 milhões), apurado em 2014.

 

Trabalho doméstico

 

O número de trabalhadores domésticos chegou a 6,3 milhões, permanecendo praticamente estável em relação à estimativa de 2018 (6,2 milhões). Mas o número de pessoas com carteira assinada caiu 3%, de 1,819 milhão para 1,764 milhão, enquanto o contingente sem carteira assinada manteve-se estável, somando 4,5 milhões.

 

Emprego com carteira assinada

 

O maior destaque foi o aumento de 1,8% no contingente de empregados no setor privado com carteira assinada, em relação ao trimestre anterior, atingindo 33,7 milhões; enquanto o número de trabalhadores sem carteira assinada permaneceu estável, com 11,9 milhões.

 

No confronto com o trimestre de outubro a dezembro de 2018, houve expansão de 2,2% no número de trabalhadores com carteira (acréscimo de 726 mil pessoas); e de 3,2%, no de trabalhadores sem carteira representando um adicional estimado de 367 mil pessoas.

 

Confira aqui mais dados da pesquisa.

Fonte
Leia na integra.
 

Compartilhe com seus amigos


Leia também

O mutirão ocorre de 3 a 15 de fevereiro...

CAESA O mutirão ocorre de 3 a 15 de fevereiro e pretende atingir mais da metade dos domicílios inadimplentes, que são 70% clientes da Companhia na capital, MacapáPor: Camila RamosA partir da segu...

Continuar leitura

Privatização CAESA

Sindicato dos Urbanitarios do Amapá na luta contra a Privatização da Companhia de Água e Esgoto do Amapá - CAESA.

Continuar leitura

Estudantes de MT ocupam escola cinquente...

Cerca de 30 estudantes acamparam na escola Estadual Professor Nilo Póvoas na tarde de segunda-feira (10) para impedir que o governo do Estado feche a unidade de ensino. Nesta terça-feira (11) os portõ...

Continuar leitura

Eleições municipais podem atrapalhar pri...

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou, nesta quarta-feira (29), que a tramitação do projeto de lei que trata da privatização da Eletrobras pode ser prejudicada pela dinâ...

Continuar leitura