Ligue

(96) 3223-5810

Segunda a Sexta

08:00 - 12:00

14:00 - 18:00

CEA oferece atendimento especial ao consumidor para negociação de débitos

Por: STIUAP em: 24/01/2020

Atendimento visa facilitar realização de acordo entre os consumidores

Os consumidores com débitos em aberto com a Companhia de Eletricidade do Amapá  (CEA) têm uma nova alternativa para se regularizarem com a empresa. Todas as sextas-feiras, no horário de 8h ás 12h, no Centro Judiciário de Solução de Conflitos (Cejusc) da Zona Norte de Macapá, há o atendimento especial para negociação.

A iniciativa, que ocorre em parceria com o Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), faz parte das ações de combate à inadimplência. A cooperação destes órgãos já atua na realização dos mutirões de negociação que acontecem semestralmente.

 “No caso do mutirão, somos nós que fazemos o levantamento dos usuários inadimplentes e os convidamos para negociar. No atendimento semanal, o objetivo é abranger um número maior de clientes, sem necessariamente, serem notificados”, frisou a gerente de combate à inadimplência da CEA, Pâmela Nascimento.

Para o fechamento de acordos são analisados o valor do débito, a proposta do consumidor entre outros fatores. A negociação ocorre na modalidade pré-processual, onde não há judicialização, e é feita pela equipe da companhia e Tjap.

O Cejusc Zona Norte funciona no prédio da Casa da Cidadania, localizada na Avenida Maria Cavalcante de Azevedo Picanço, s/n, no bairro Infraero II.

Atendimento

O consumidor ainda pode ter este atendimento no escritório central da CEA, localizado na Avenida Padre Júlio, 1900, bairro Santa Rita e, também, nas agências do Super Fácil, pelo Call Center 116 e pelo whatsapp 98802-1014.

Inadimplência

A dívida de inadimplência das classes privadas (residencial, comercial, industrial e rural) no Amapá nos últimos 10 anos chega ao montante de R$ 276 milhões, segundo a diretoria comercial da CEA. Neste levantamento foram considerados casos, por exemplo, de consumidores com pelo menos uma fatura em aberto. 

No que concerne apenas às unidades cadastradas como “cortadas” no sistema, a Gerência de Combate a Inadimplência identificou um aumento de mais de 30% nos débitos vencidos das classes residencial, industrial, comercial e rural, que no período de um ano passaram de R$ 118,8 milhões para cerca de R$ 152,8 milhões. 

Os reflexos da inamdiplência são variados. A queda da receita faz com que a empresa enfrente dificuldades para realizar a manutenção corretiva e preventiva da rede elétrica e para investir na melhoria do serviço, prejudicando diretamente o consumidor que paga sua conta em dia.

Fonte
Leia na integra.
 

Compartilhe com seus amigos


Leia também

O mutirão ocorre de 3 a 15 de fevereiro...

CAESA O mutirão ocorre de 3 a 15 de fevereiro e pretende atingir mais da metade dos domicílios inadimplentes, que são 70% clientes da Companhia na capital, MacapáPor: Camila RamosA partir da segu...

Continuar leitura

Privatização CAESA

Sindicato dos Urbanitarios do Amapá na luta contra a Privatização da Companhia de Água e Esgoto do Amapá - CAESA.

Continuar leitura

Estudantes de MT ocupam escola cinquente...

Cerca de 30 estudantes acamparam na escola Estadual Professor Nilo Póvoas na tarde de segunda-feira (10) para impedir que o governo do Estado feche a unidade de ensino. Nesta terça-feira (11) os portõ...

Continuar leitura

Desemprego recua levemente, já informali...

A taxa média de desemprego caiu de 12,3%, em 2018, para 11,9%, em 2019, mas o que mais aumentou foi a informalidade, que bateu novo recorde, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios...

Continuar leitura